Sobrevivendo no Inferno a ideologia torta dos Racionais MCs

Guardem as pedras. Todo top 100 deve vir equipado com alguns maus exemplos e este é o caso do album Sobrevivendo no inferno dos Racionais MC’s. Este disco obviamente não deve fazer parte de sua coleção para degustar os sentidos musicais ou a ideologia satânica, mas serve como um alerta da mais recente e desprezível face da moral judaico-cristã, o Estado Paternalista.

O estado no qual mérito não vale nada e as pessoas são protegidas das conseqüências de suas próprias decisões. Não é a toa que a cruz e um salmo estão na capa desta álbum.

Sinais claros de que aqui é terra de podridão. Considere: Uma infinidade de famílias recebe sustento do governo, via Bolsa Família e outras esmolas eletrônicas pelo único e simples fato de existirem.

Ao invés de ensinar as pessoas a caminharem com as próprias pernas, com escolas de qualidade e uma economia competitiva, a caridade estatal patrocina a vagabundice e consequentemente o crime e a pobreza.

E o roubo diário em seu bolso premiando a falta de planejamento familiar e cultivando o parasitismo social é menor dos nossos males.

Considere apenas que não importa o quanto alguém tenha roubado, matado e estuprado, por lei o tempo total que um brasileiro pode passar na prisão nunca pode ser superior a trinta anos.

Destes os prisioneiros cumpre em média apenas seis anos e saem por bom comportamento e demais benefícios.

sobrevivendo no inferno
Album dos Racionais MCs

O estado e oficialmente laico, mas a influência cristã é tão grande que os prisioneiros têm direito ao “indulto de natal”, um dia de liberdade para rever suas famílias. Todo Natal o Estado nos dá de presente milhares de criminosos dos quais uma boa parcela, obviamente não retornam mais.

Opondo-se a glamorização do crime de grupos como Racionais MC, o satanismo propõe uma ideologia severa e exige castigo e punição para aqueles que traíram a confiança da sociedade. Talvez seja hoje a única religião que ainda se recuse a passar a mão na cabeça dos assassinos.

Enquanto houver neste país, covardes a ponto de não instituírem campos de extermínio no lugar de hotéis superlotados que soltam monstros pelas janelas seremos alvos desses caras que vão te esperar no próximo sinal vermelho com uma arma na mão e um cruz no pescoço.

Mesmo se seu próximo semáforo estiver livre, considere o roubo que acontece durante todo o ano. De acordo com estimativas do Departamento Penitenciário Nacional, cada presidiário custa em média $ 1.500 por mês no bolso do contribuinte.

Em 2006 haviam 361 mil presidiários em todo o país, assim estamos falando de um gasto de R$ 6,5 bilhões por ano. Um valor altíssimo, especialmente quando comparado com o preço de uma injeção letal.

Responda então sinceramente: porque obrigá-los a sobreviver no inferno se uma simples aplicação intravenosa pode levá-los para o céu?

Fonte www.mortesubita.org

Leia mais:
Fechar