Coringa, o fascínio pela maldade

Se existe um personagem do cinema, dos desenhos e dos quadrinhos que provoca arrepios, esse personagem é, sem dúvida, o Coringa (Joker), inimigo mortal do Batman. O Coringa é um personagem emblemático, que se tornou referência para o crime e para a maldade humana. O Coringa é um vilão criado pela editora norte-americana DC Comics. Ele foi idealizado por Bill Finger e Bob Kane em 1940. A criação do personagem também teve uma valiosa contribuição de Jerry Robinson.

O Coringa tem um perfil psicológico aterrorizante e totalmente fora dos padrões da normalidade. Ele é descrito como um psicótico, um vilão com uma aparência peculiar e assustadora, semelhante ao curinga que está presente nas cartas de baralho.

Com seus cabelos verdes, pele muito branca e uma grande e sorridente boca vermelha, o Coringa se tornou um ícone do crime. Nas histórias da ficção, ele foi brilhantemente interpretado por Cesar Romero, Jack Nicholson e por Heath Ledger.

Na vida real, o Coringa se tornou um símbolo de poder entre bandidos, traficantes e pessoas com caráter duvidoso. A imagem do personagem é constantemente encontrada em perfis de redes sociais de pessoas que se identificam com a personalidade e a maldade desse vilão.

Além disso, o Coringa também virou uma das tatuagens mais procuradas por presidiários e contraventores. Mas, por que será que o Coringa desperta esse fascínio nas pessoas? Por que ele se tornou um símbolo tão forte do mal?

Perfil psicológico do Coringa

coringa

Existe um apelo psicológico de poder, genialidade e invencibilidade nesse personagem. Esse vilão se tornou muito popular no mundo todo justamente porque ele desperta nas pessoas uma reação de identificação. Talvez isso aconteça porque o Coringa é um personagem que se tornou vilão por causa dos acontecimentos da vida.

Segundo os seus criadores, o Coringa foi uma criança sozinha, que sofreu violência dentro de casa e teve a boca cortada pelo próprio pai. Ele também foi uma criança que sofreu rejeição entre colegas de escola, pois todas as pessoas o consideravam estranho, fora dos padrões.

O Coringa foi uma pessoa que desistiu dos estudos e acabou considerado louco. Na adolescência, já demonstrando um lado perverso, o Coringa colocou fogo em sua casa com os pais dentro dela. Em seguida, ele se tornou um ladrão de joalherias e também tentou roubar uma fábrica da companhia de cartas. Teria sido no roubo da fábrica, após entrar em contato com lixo tóxico, que o Coringa se transformou nessa criatura bizarra.

O Coringa é um personagem que rouba e mata muitas pessoas, mas que não consegue vencer o herói Batman, sua principal desavença. O palhaço do crime é um personagem insano e cruel. Ele acredita que ninguém é capaz de vencer sua genialidade, inteligência e sua astúcia.

Talvez, essas características também chamem bastante a atenção das pessoas que já têm uma vocação para a maldade e para o crime, mas é difícil descrever o real motivo de tanto fascínio pelo personagem.

Apologia ao crime

Hoje, o Coringa se tornou um símbolo do crime e de pessoas e culturas marginalizadas no Brasil. Há quem diga que a imagem desse célebre personagem é usada para fazer apologia ao crime, o que se acredita ter relação com o fato do vilão ser um assassino de policiais.

O certo é que o Coringa é um personagem que transmite todas as características de uma mente doente. O Coringa é sádico, é excêntrico e é cruel. Ele se tornou o maior maníaco homicida do cinema e dos quadrinhos e conseguiu se destacar entre os personagens de Batman por apresentar um lado cômico, um tipo de sarcasmo sanguinário.

Conteúdo Correspondente  O silêncio perturbador de Pelé frente ao racismo

Uma marca registrada do Coringa, além de seu sorriso, é a lapela de seu terno, repleta de flores. Dessa lapela sai um ácido usado para atingir seus inimigos. O Coringa também usa sua criatividade para acabar com qualquer pessoa que atrapalhe seus planos. Ele já matou pessoas com tortas recheadas com cianeto, com charutos de nitroglicerina e com descargas elétricas fatais.

Diante desses fatos, é possível entender qual o motivo desse personagem ser tão idolatrado pelo lado negro da sociedade. O Coringa sempre tem planos grandiosos e inteligentes. A habilidade que este personagem tem para enganar as pessoas e se dar bem a todo custo também chama a atenção.

Coringa, simbolo de grupos de funkeiros

No Brasil, o Coringa se tornou símbolo de muitas comunidades e grupos de funkeiros que cantam músicas que fazem apologia às drogas e ao crime. O que parece é que esses jovens se identificam realmente com o apelo sanguinário do personagem. Ao que tudo indica, pessoas com tendências à criminalidade têm um grande fascínio pelo personagem do Coringa, mas isso apenas psicólogos e psiquiatras poderiam explicar.

Recentemente, o cantor de funk MC Kauan foi preso por porte de entorpecentes. O funkeiro é conhecido como MC Coringa e se apresenta acompanhado por dançarinos que usam máscaras de palhaços. MC Kauan sobe ao palco fantasiado de Coringa, personagem que venera.

Kauan já foi acusado reiteradas vezes de fazer apologia ao crime em suas letras e videos, a mais emblemáticas delas é a Casa do Coreano, que retrata em detalhes um estudo minucioso para assaltar um individuo de origem oriental.

Marco do cinema

Muitos críticos de cinema indicam o Coringa do ator Heath Ledger como o mais incrível de todos os tempos. Infelizmente, o jovem ator morreu aos 28 anos de idade, vítima de uma overdose de tranquilizantes. Ledger faleceu antes da estreia do filme The Dark Knight, de 2008. Nesse filme, o Coringa aparece mais assustador do que nunca.

Ledger deu muita autenticidade para o personagem do Coringa e, por isso, se tornou referência no mundo do cinema por uma atuação brilhante. O papel foi a última aparição do ator no cinema. Vale a pena conferir essa produção e ver todos os detalhes da personalidade e da mente perturbada do palhaço do crime, o maior vilão que o mundo já conheceu!

Coringa, o fascínio pela maldade

Tempo de leitura: 4 min
144 Shares